segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Debian 6.0 "Squeeze"


O GARRA



Bom, foi anunciado no dia 5 de fevereiro o lançamento do Debian 6.0 (codinome Squeeze) Gnu/Linux e Gnu/KFreeBSD http://www.debian.org/News/2011/20110205a.
 Há quem o critique a respeito do tempo de lançamento de uma nova versão que levava até quatro anos.  O próprio projeto Debian reduziu o tempo pela metade nesta ultima versão; com isso, a Canonical também se prontificou em emprestar desenvolvedores para ajudar no lançamento (o que já estava na hora) e também foi mencionado o fato de libertarem o kernel Linux novamente.
 Particularmente, não tenho essas criticas a respeito da distribuição, visto a portabilidade:
      " Possui suporte a língua Portuguesa, é a única que tem suporte a 14  arquiteturas diferentes (i386, Alpha, Sparc, PowerPc, Macintosh, Arm, etc.) e aproximadamente 15 sub-arquiteturas...
  Acompanha mais de 18730 programas distribuídos em forma de pacotes...
  ...São feitos extensivos testes antes do lançamento de cada versão para atingir um alto grau de confiabilidade. As falhas encontradas nos pacotes podem ser relatados através de um sistema de tratamento de falhas que encaminha a falha encontrada diretamente ao responsável para avaliação e correção."
 (Fonte Guia FOCA)
 Portar para tudo isso leva bastante tempo; se fosse portar somente para x86 como muitas distros são portadas, aí sim eu também criticaria tanto tempo para o lançamento de uma distro.
  Fora o fato de ser multi-kernel pode-se obtê-lo com kernel Linux, ou netBSD, ou FreeBSD ou hurd (mas parece que não vão dar continuidade a NetBSD); Tudo isso pode ser conferido na própria página do Debian em ports.



Então de cara não dá para dizer que é Linux, só analizando mesmo:


 Observação: Para se obter o Debian GNU/KFreeBSD não basta dar um apt-get install kfreebsd, editar o grub e depois achar que vai bootar pelo kernel FreeBSD. Os pacotes utilizados pela versão FreeBSD e Linux são diferentes.
 Para se utilizar o Debian com o kernel FreeBSD, vá ao site oficial do Debian e baixe a versão KFreeBSD para arquiteturas i386 ou amd64.
Uma critica pessoal, o novo papel de parede padrão, francamente, ficou zoado hein rsrsrrs.
  Para os iniciantes que desejam aprender sobre o sistema Linux num modo geral, segue aí um exemplo para saber mais sobre ele além de ter um link na própria pagina do Debian com manual de instalação para várias arquiteturas:
 http://www.debian.org/releases/stable/installmanual que pode ser encontrado tanto em HTML quanto em PDF. Outra coisa interessante é o cartão de referência do Debian e os manuais de DDP para usuários em vários idiomas.

Hoje acidentalmente comecei a ter minhas experiências com a nova versão do Debian.
 Ao aplicar um "aptitude update" e o "aptitude upgrade", o próprio sistema se encarregou de fazer a atualização e instalou as nova versão da distro.








  Bom, feito a instalação, como via de regra, eu repito o comando "aptitude update" e depois digito o "updatedb" para o sistema ler a base de dados:



 
Acredito que foi as listas de repositório que tenho em meu /etc/apt/source.list, devido ter a lista de repositório "deb http://ftp.us.debian.org/debian stable main" por que não utilizei o comando "apt-get dist-upgrade" que iria se encarregar de fazer isso:



 Bom, foram instalados ao todo 474 pacotes, um total de 210 megabytes:



 Acabei de ligar meu pc para fazer testes na nova versão; estou achando mais rápido e mais estável. Mas como ficou com aparência do Lenny (mesmo que o papel de parede zoado veio), apliquei o comando "#apt-get dist-upgrade" para ficar totalmente Squeeze de uma vez.
 Analisando a distro fora o fato de mais estável e maior desempenho, temos os que observei (digo em desktop, por que não instalei os demais suportes para servidores):

O novo kernel desta versão (vmlinuz-2.6.32-5-686) é quase um mega maior que o do Lenny(vmlinuz-2.6.26-2.686) por ter um sistema de recover que pode ser visto no grub no inicio da seção. O kernel do Lenny não foi excluído, porém o meu módulo de rede não funciona no meu pc, então realmente tenho que bootar com o kernel desta versão.




 O Kernel do Lenny vem com o suporte a somente a um processador. Por isso também é um Kernel menor (troquei o papel de parede por que injuriei do original).


  Já o novo vem com suporte a processadores x86 de vários fabricantes, assim como o do Ubuntu e do Fedora.
 Não que isso seja bom; inclusive vou ter que compilar outro Kernel para rodar somente o meu processador.



 Houve modificações no grub também em escolha de seções. Agora ele lê o arquivo core.img se você não escolhe o Kernel em 5 segundos, aí ele passa para uma seção mais gráfica com o papel de parede bichado:


 


 Agora, por padrão, vem o pacote Gnash (lê-se Nésh) para rodar aplicativos flash o que interessante para quem utiliza em desktop. Dá para sentir a diferença de estabilidade no Gnash em comparação ao flash da adobe. Caso a parte, isso é minha opinião a respeito do software e não querende desmerecer o aplicativo da adobe (vou ter que assistir esse filme no cinema).


 As janelas não abrem mais independentes. Achava chato o fato de cada diretório que se clicava, abria outra janela.
 O meu irmão, que é usuário de Mac (e não de drogas como w..., deixa quieto), por tratar de vídeos, fotos e cores, aprovou o sistema em questão de desempenho com que o sistema abre as janelas, vídeos, imagens e áudio.

 Já a rede vem configurado da seguinte forma:


   A rede vem como "allow-hotplug eth0"

 Só  para realizar teste, como hoje compilei o Kernel 2.6.35.10 e o 2.6.35.11


Tive que configurar o arquivo "/etc/network/interface" para que funcionasse, por que o simbolo da rede mostra que não carrega a rede automaticamente.



 Colocando dentro do arquivo as seguintes linhas:
 auto eth0
 iface etho inet dhcp

 Depois dei o comando "/etc/init.d/networking restart" e depois conferindo a rede com o comando "ifconfig".



 Aí o trem funfou mesmo que o ícone indicava que não estava conectado.

 Não contente, recompilei o 2.6.35.11 e coloquei um -2 (vmlinuz-2.6.35.11-2
) por que também não estava reconhecendo pendrives. Antes de tudo, dei um "make mrproper" para voltar a configuração original e depois parti para o arrebento. Agora não precisei configurar a rede manualmente; o próprio allow-hotplug eth0 reconheceu a rede automaticamente:








(o curioso é que removeram o "iwconfig")



 Já o bzip2 não veio a nova versão como publiquei uma postagem em novembro.


 Mas vamos esperar para ver se quando vier as atualizações (como já tive duas nos últimos), ele virá com a versão corrigida.

 Parabéns ao projeto mais uma vez.


Nota de observação: Não estou criticando outras distribuições; sou imparcial a essa questão; o que fiz aqui na verdade foram só observações a respeito da distribuição. Gosto Geentoo e slakware; já ajudei empresa com questões que usaram slakware.
 Já utilizei várias distros para vários propósitos, cheguei a lecionar Linux em uma escola com conectivia 10 (em 2.008). Mas como hoje tive essa experiencia então não quis deixar de publicar.



 Mais uma vez parabenizo o projeto Debian.

Nenhum comentário:

Postar um comentário